Contrarrazões - aposentadoria por invalidez - desemprego - ajuizamento de ação trabalhista julgada improcedente - impossibilidade de novorum iudicium em segundo grau

Publicado em: 09/08/2017, 06:43:35Atualizado em: 19/12/2018, 13:15:55

Contrarrazões ao recurso inominado em face de sentença que concedeu aposentadoria por invalidez. Impossibilidade de discutir nova alegação em sede recursal.

O Prev já ajudou mais de 90 mil advogados.Tenha acesso a mais de 4 mil petições no acervo.

Veja os planos

MERITÍSSIMO JUÍZO DA ${informacao_generica}ª VARA FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ${processo_cidade}

 

${cliente_nomecompleto}, já devidamente qualificado nos autos do presente processo, vem respeitosamente, perante Vossa Excelência, através de seus procuradores, apresentar as suas

CONTRARRAZÕES AO RECURSO INOMINADO

interposto pelo Instituto Nacional do Seguro Social, pelas razões anexas, as quais requer sejam remetidas junto aos autos do presente processo para a Turma Recursal da Seção Judiciária do ${processo_estado}.

 

 Nesses Termos,

Pede Deferimento.

${processo_cidade}, ${processo_hoje}.

 

${advogado_assinatura}


EGRÉGIA TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ${processo_estado}

CONTRARRAZÕES AO RECURSO INOMINADO

PROCESSO             : ${informacao_generica}

RECORRENTE      : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

RECORRIDo         : ${cliente_nomecompleto}

JUÍZO DE ORIGEM  : ${informacao_generica}ª VARA FEDERAL DE ${processo_cidade}

 

 EGRÉGIA TURMA RECURSAL

                                 DOUTOS JULGADORES

 A sentença proferida no Juízo a quo deve ser mantida, pois o conjunto fático probatório revela que o demandante preenche todos os requisitos para a concessão do benefício de aposentadoria por invalidez, inadmitindo-se qualquer espécie de modificação, com exceção à matéria objeto do recurso da Parte Autora, sob pena de atentar contra o melhor Direito.

 

DO RECURSO

Apesar do esforço despendido em seu recurso, o Recorrente não logrou êxito em descaracterizar os argumentos trazidos à baila durante o decorrer do processo que, diga-se de passagem, foram confirmados na sentença, que resultaram no julgamento parcialmente procedente da demanda.

Note-se que argumenta o réu que não deveria ter sido reconhecida a situação de desemprego vivenciada pelo Autor no interregno de ${data_generica} a ${data_generica}, pois haveria ação trabalhista ajuizada pelo Demandante, referente ao período supramencionado.

Ocorre que, o INSS traz nova alegação em sede de recurso, sem sequer apresentar documentos referentes a referida reclamatória trabalhista, tratando-se de inovação não merece prosperar seja do ponto de vista processual seja em seu mérito.

Inicialmente há de se salientar que o direito brasileiro veda o novorum iudicium em sede recursal, somente podendo ser alegada em caso de força maior:

 

EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL. FGTS. PAGAMENTOS REALIZADOS NA JUSTIÇA DO TRABALHO. PROVA DA QUITAÇÃO. CERCEAMENTO DE DEFESA. JUNTADA DE DOCUMENTOS NA APELAÇÃO. HONORÁRIOS. 1. Não há cerceamento de defesa quando a prova reputada pelo embargante como faltante consta dos autos. 2. Não é admissível a produção de prova na apelação quando os documentos já existiam antes do encerramento da instrução e não foram juntados oportunamente aos autos. 3. Somente podem ser excluídos da execução fiscal aqueles valores de FGTS que foram comprovadamente pagos aos empregados, por força de acordos ou sentenças em reclamatórias trabalhistas. 4. Foi o próprio embargante quem deu causa à cobrança dos valores indevidos, pois não adimpliu as obrigações de forma tempestiva e, quando o fez, não observou o procedimento legalmente previsto para tal finalidade, razão pela qual não é cabível a condenação da embargada ao pagamento da sucumbência. (TRF4, AC 5000134-19.2013.404.7216, Segunda Turma, Relator p/ Acórdão Roberto Fernandes Júnior, juntado aos autos em 13/02/2014) (com grifos acrescidos).

 

PROCESSUAL CIVIL. MATÉRIA NOVA SUSCITADA SOMENTE NA APELAÇÃO. NÃO APRECIAÇÃO PELO TRIBUNAL. Para não ferir o princípio do duplo grau de jurisdição, as questões não suscitadas e discutidas em 1º grau não podem ser apreciada

A petição completa está disponível apenas para assinantes.

1025 palavrasPetição completa (5.122 palavras)

Você já leu 1025 palavras desta petição. Continue lendo, faça download desta petição formatada no Word e salve-a em seu computador, em formato .doc.

ASSINE O PREV E CONTINUE LENDO

Além de ter acesso a petições escritas por nossa equipe dedicada, que ganharam casos reais, você também poderá:

Fazer um cálculo previdenciário em até 5 minutos!

Basta enviar o CNIS do segurado e nós organizamos todos os vínculos rapidamente. Você os revisa e envia para cálculo.

Ter o diagnóstico completo dos benefícios disponíveis

Agora escolher o melhor benefício se tornou incrivelmente mais fácil. Você tem o retrato completo do seu segurado.

Receber as melhores petições para cada caso

Petições como a que você acabou de ler acima, já vêm preenchidas com os dados do segurado e pronta em PDF para protocolar ou imprimir.

O Prev já ajudou mais de 70 mil advogados a modernizar as rotinas de seu escritório previdenciário.

Embargos de Declaração09/11/2021

Embargos de declaração. Omissão quanto ao IRDR 12 do TRF4. Presunção absoluta de miserabilidade. Renda per capta inferior ao limite legal.

Veja mais
Petições Iniciais04/09/2019

Petição Inicial. Aposentadoria por Idade Rural. Possibilidade de cumulação com pensão por morte superior ao salário mínimo

Veja mais
Recurso de Apelação31/05/2021

Recurso de apelação. Aposentadoria por idade rural. Cômputo de auxílio-doença intercalado para fins de carência. Tema 1.125, STF.

Veja mais
Réplicas07/01/2021

Réplica. Aposentadoria Especial. Período posterior à vigência do Decreto n° 2.172/97.

Veja mais
Contrarrazões31/05/2021

Contrarrazões. Aposentadoria por invalidez. Incapacidade permanente. Análise das condições pessoais. Contribuinte individual que presta serviço como pedreiro.

Veja mais
Petições Iniciais10/12/2019

Petição inicial. Salário-maternidade. Inaplicabilidade do prazo decadencial previsto pela MP 871/2019. Nascimento anterior à edição da MP.

Veja mais